Blog...Þarte ðe M¡m


 

 


Quando enfim abri os olhos
debruçado sobre ti, eu olhava teus cabelos finos
tão leves, como um tênue mistério em tua nuca...
E o pequenino lóbulo de tua orelha
onde pendurei o brinco do meu beijo.
E fiquei a pensar que estava ali, tão presente
em ti
e nem me vias...
...Tu estavas do outro lado,
em toda parte de minha vida,
e nem sabias...

 

J. G . de Araujo Jorge



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h20
| envie esta mensagem



"...- e então preciso de ti
como preciso de ar..."

 

J. G. de Araújo Jorge



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h15
| envie esta mensagem



 

Tu nunca bates no meu pensamento à hora de entrar.
Chegas de repente, invades tudo, e é impossível te expulsar
por que então já sou eu que te procuro.


Não escolhes momento...
por mais que me encontres fechado em mim mesmo
entras pelo pensamento, - clara fresta, vulnerável
às lembranças do teu desejo.

 

E quando chegas assim, estremeço até regiões ignoradas
me levanto, e saio, sonâmbulo, a te buscar
a caminhar a esmo...

 

Chegas - como uma crise a um asmático,
- e então preciso de ti
como preciso de ar,

e tenho a impressão de que se não te alcanço,
se não te encontro,
vou morrer, miserável,
como um transeunte nas ruas,
antes que o socorro chegue para salvá-lo...
alcançar-te é um suplício...

 

J. G. de Araujo Jorge



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h07
| envie esta mensagem



 

"O que fazer entre um orgasmo e outro,
quando se abre um intervalo
sem teu corpo?..."

 

Affonso Romano de Sant'Ana



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h01
| envie esta mensagem



Algún día en cualquier parte,
en cualquier lugar
indefectiblemente te encontrarás a ti mismo,
y ésa, sólo ésa,
puede ser la más feliz
o la más amarga de tus horas.


Pablo Neruda



Postado por: Þarte ðe M¡m às 09h58
| envie esta mensagem



Minha Parte

 

 

Por vezes me desconheço,
As tantas me descubro,
Em segredo me revelo,
Com amor me cubro,
De paixão me visto,
Mas do medo: nua!
Na rua ser de ninguém,
E em tudo: tua!
Por ser metade de mim
És minha melhor parte;
Sem literatura, pura arte,
Voraz, faminta, crua!



Cáh Morandi



Postado por: Þarte ðe M¡m às 09h52
| envie esta mensagem



Silêncios no sofá

 


Deitada
A cabeça no colo dele, os pés em cima do sofá, os joelhos levantados.
A mão dele emaranhada no cabelo dela.

 

Trocando palavras. Trocando silêncios.

 

A mão dele desceu na camisola dela.
Levantou-lhe a camisola. Deixou-a descoberta.
Continuaram a falar.
A intimidade de quem ama e conhece e se reconhece no outro.
A mão desapareceu dentro das calças dela.
Ela fechou os olhos. Entreabriu as pernas.

 

Trocando palavras. Trocando carícias.

 

Ela levantou as ancas. As mãos dele baixaram-lhe as calças.
Ele segurou a mão dela, beijou-a.
Guiou a mão dela. Pô-la entre as coxas. As ancas que se moviam devagar.
A mão dela entre as coxas. A mão dele sobre a mão dela.
As mãos. Os dois olhando as mãos.

 

Trocando silêncios. Trocando desejo.

 

Ela arqueou o corpo. Respirou o nome dele.
Ergueu a mão.
Os dedos na boca dele. Ele lambeu-lhe os dedos.
O sabor dela na boca dele.

 

Trocando palavras. Trocando silêncios.
Trocando-se. Reencontrando-se.

 

 Encandescente



Postado por: Þarte ðe M¡m às 18h11
| envie esta mensagem



 

inspiração??

 

inspira...

 

expira...

 

ah!! ação...

 

Þarte ðe M¡m



Postado por: Þarte ðe M¡m às 14h05
| envie esta mensagem



 Só tuas mãos

tem o fogo

que ao meu corpo

incendeia...



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h44
| envie esta mensagem



 

"Meu amor é assim, sem nenhum
pudor.
Quando aperta eu grito..."

 

Adélia Prado



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h43
| envie esta mensagem



 

Nós temos cinco sentidos:
são dois pares e meio de asas.

 

- Como quereis o equilíbrio?

 

 

David Mourão-Ferreira



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h40
| envie esta mensagem



Quero despir-te

 

Quero despir-te.
Para quê a roupa se me impede de ver a tua pele?
Deita-te. Assim. Nu.
Deixa-me olhar-te. Decorar-te.
Quero guardar-te nos olhos para te lembrar quando não presente.

 

Gosto de brincar com os teus pés.
Subir em ti, assim, em carícias lentas.
Gosto da tua pele molhada. De te cobrir de saliva e suor.

 

Espera.

 

Deixa que me demore no teu sexo. Que o olhe. Que o desperte.
Enquanto me olhas. Enquanto nos vês.
Enquanto murmuras: - Não pares meu amor.

 

Deixa-me suspirar. Derramar. Deleitar-me com o teu corpo.
Descobrir a que sabe o teu peito.

 

Gosto das tuas mãos.
De lamber e morder um a um os teus dedos.
Enquanto te amo. Enquanto me amas.
E dizer na tua boca:
- Vem comigo meu amor.

 

Brincar contigo...
Posso?

 

 Encandescente



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h26
| envie esta mensagem



Gozo

 

Ondula mansamente a tua língua
de saliva tirando
toda a roupa...
já breves vêm os dias
dentro de noites já
poucas.
Que resta do nosso
gozo
se parares de me beijar?
Oh meu amor...
devagar...
até que eu fique louca!
Depois... não vejas o mar
afogado em minha
boca!

 

Maria Teresa Horta



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h22
| envie esta mensagem



Joelho


 

Ponho um beijo
demorado
no topo do teu joelho

 

Desço-te a perna
arrastando
a saliva pelo meio

 

Onde a língua
segue o trilho
até onde vai o beijo

 

Não há nada
que disfarce
de ti aquilo que vejo

 

Em torno um mar
tão revolto
no cume o cimo do tempo

 

E os lençóis desalinhados
como se fosse
de vento

 

Volto então ao teu
joelho
entreabrindo-te as pernas

 

Deixando a boca
faminta
seguir o desejo nelas.

 

Maria Teresa Horta



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h13
| envie esta mensagem



 

Para sempre é muito tempo...
O tempo não pára!
Só a saudade
é que faz as coisas pararem no tempo.

 

 Mário Quintana



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h03
| envie esta mensagem



E o resto é silêncio

 

E então ficamos os dois em silêncio, tão quietos
como dois pássaros na sombra, recolhidos
ao mesmo ninho,
como dois caminhos na noite, dois caminhos
que se juntam
num mesmo caminho...

 

Já não ouso... já não coras...
E o silêncio é tão nosso, e a quietude tamanha
que qualquer palavra bateria estranha
como um viajante, altas horas...

 

Nada há mais a dizer, depois que as próprias mãos
silenciaram seus carinhos...

 

Estamos um no outro
como se estivéssemos sózinhos...

 

J.G. de Araújo Jorge



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h33
| envie esta mensagem



Banalidades

 

Deito a cabeça no teu peito
Enrolada nos teus braços
E desfio com os dedos na tua pele
As banalidades que fizeram o meu dia
E tudo se torna importante
Porque nada é banal
Quando dito na tua pele
Desfiado no teu peito
Enrolada nos teus braços.


 

Encandescente in "Encandescente", Colecção Polvo - Poesia



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h07
| envie esta mensagem



 

“... Diz tua boca: "Vem!"
"Inda mais!", diz a minha, a soluçar... Exclama
Todo o meu corpo que o teu corpo chama:
"Morde também!"
Ai! morde! que doce é a dor
Que me entra as carnes, e as tortura!
Beija mais! morde mais! que eu morra de ventura,
Morta por teu amor!”

 

Olavo Bilac



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h43
| envie esta mensagem



 

Para meu coração basta teu peito,
para tua liberdade bastam minhas asas...


Pablo Neruda



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h15
| envie esta mensagem



 

“E eu  só queria que fosse bom, foi incrível”

 


Marla de Queiroz



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h03
| envie esta mensagem



 

...


Não acredites neste breve sono;
Não dês valor maior ao meu silêncio;
E se leres recados numa folha branca,
Não creias também: é preciso encostar
Teus lábios em meus lábios para ouvir...


.
Lya Luft



Postado por: Þarte ðe M¡m às 14h50
| envie esta mensagem



 

..sussurrando no teu ouvido...

vem...quero mais...



Postado por: Þarte ðe M¡m às 14h38
| envie esta mensagem



Ausência

 

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

 

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

 

Sophia de Mello Breyner Andresen



Postado por: Þarte ðe M¡m às 14h35
| envie esta mensagem



Como uma flor vermelha

 

 

À sua passagem a noite é vermelha,
E a vida que temos parece
Exausta, inútil, alheia.

 

Ninguém sabe onde vai nem donde vem,
Mas o eco dos seus passos
Enche o ar de caminhos e de espaços
E acorda as ruas mortas.

 

Então o mistério das coisas estremece
E o desconhecido cresce
Como uma flor vermelha.

 

Sophia de Mello Breyner Andresen



Postado por: Þarte ðe M¡m às 14h13
| envie esta mensagem



 

De mais ninguém, senão de ti, preciso:
Do teu sereno olhar; do teu sorriso,
Da tua mão pousada no meu ombro...


Carlos Queirós



Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h11
| envie esta mensagem



Pedro Abrunhosa...Parte de Mim



Postado por: Þarte ðe M¡m às 10h48
| envie esta mensagem



 

 

Me empresta seus lábios...
Deixe-os colados aos meus
Me empresta seus olhos...
Deixe-os ver apenas os meus
Me empresta suas mãos...
Deixe-as envoltas em meu corpo
Agora me aperta!
Deixe fluir toda minha energia
Absorva toda a força do meu amor.

...



Postado por: Þarte ðe M¡m às 12h13
| envie esta mensagem



9 e 1/2 Semanas de Amor



Postado por: Þarte ðe M¡m às 12h00
| envie esta mensagem





Postado por: Þarte ðe M¡m às 11h58
| envie esta mensagem


.:: Blog...Þarte ðe M¡m ::.

 





UOL


.::Sonhando::.


Þarte ðe M¡m
Ana €!¡sa

Uma parte de mim debruça na janela
Contempla as estrelas
Sonha de olhos abertos
Espera encantada a manhã chegar.

A outra parte deita na cama à tua espera...
Desmancha os lençóis
Sussurra desejos
Invade teu sono.

Uma metade de mim suspira pelos cantos...
A outra, se perde no teu corpo
Uma...se joga e enlaça tua pele...
Carente e docemente sensual
A outra...Pula no teu pescoço...
Lambe teu tórax...
Expõe as vontades.

Uma metade de mim viaja enlevada pela luz da lua
A outra, faz da lua, cúmplice dos pecados.

Parte de mim...sedutora e atrevida
Murmura vulgaridades
Se submete aos teus caprichos de amante.
A outra parte perde o sono...
Para ficar te olhando dormir.

Metade de mim fecha os olhos e sonha teus beijos
Sonha amor e paixão
A outra metade...procura tua boca
Suga tua língua
Satisfaz teu tesão.

Parte de mim...te ama
A outra parte...
Ah!! Essa te ama mais ainda.






.::Traduzir-se::.




Traduzir-se

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta
outra parte
se espanta

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte??
será arte??





.:: Histórico ::.

10/05/2009 a 16/05/2009
03/05/2009 a 09/05/2009
26/04/2009 a 02/05/2009
19/04/2009 a 25/04/2009
01/03/2009 a 07/03/2009
22/02/2009 a 28/02/2009
15/02/2009 a 21/02/2009
08/02/2009 a 14/02/2009
01/02/2009 a 07/02/2009
25/01/2009 a 31/01/2009
18/01/2009 a 24/01/2009
11/01/2009 a 17/01/2009
28/12/2008 a 03/01/2009
21/12/2008 a 27/12/2008
14/12/2008 a 20/12/2008
07/12/2008 a 13/12/2008
30/11/2008 a 06/12/2008
23/11/2008 a 29/11/2008
16/11/2008 a 22/11/2008
09/11/2008 a 15/11/2008
02/11/2008 a 08/11/2008
26/10/2008 a 01/11/2008
19/10/2008 a 25/10/2008
12/10/2008 a 18/10/2008
05/10/2008 a 11/10/2008
28/09/2008 a 04/10/2008
21/09/2008 a 27/09/2008
14/09/2008 a 20/09/2008
07/09/2008 a 13/09/2008
31/08/2008 a 06/09/2008
24/08/2008 a 30/08/2008
17/08/2008 a 23/08/2008
10/08/2008 a 16/08/2008
03/08/2008 a 09/08/2008
27/07/2008 a 02/08/2008
20/07/2008 a 26/07/2008
13/07/2008 a 19/07/2008
06/07/2008 a 12/07/2008
29/06/2008 a 05/07/2008
22/06/2008 a 28/06/2008
15/06/2008 a 21/06/2008
08/06/2008 a 14/06/2008
01/06/2008 a 07/06/2008
25/05/2008 a 31/05/2008
18/05/2008 a 24/05/2008
04/05/2008 a 10/05/2008
20/04/2008 a 26/04/2008
06/04/2008 a 12/04/2008
30/03/2008 a 05/04/2008
23/03/2008 a 29/03/2008
16/03/2008 a 22/03/2008
02/03/2008 a 08/03/2008
17/02/2008 a 23/02/2008
10/02/2008 a 16/02/2008
03/02/2008 a 09/02/2008
13/01/2008 a 19/01/2008
06/01/2008 a 12/01/2008
30/12/2007 a 05/01/2008
16/12/2007 a 22/12/2007
09/12/2007 a 15/12/2007
18/11/2007 a 24/11/2007
11/11/2007 a 17/11/2007
04/11/2007 a 10/11/2007
28/10/2007 a 03/11/2007
14/10/2007 a 20/10/2007
23/09/2007 a 29/09/2007
16/09/2007 a 22/09/2007
26/08/2007 a 01/09/2007
19/08/2007 a 25/08/2007
12/08/2007 a 18/08/2007
05/08/2007 a 11/08/2007



Não quero outro olhar
nem outra boca
muito menos outro beijo
também não quero outra mão
outra carícia
minha saudade é específica..
. quero você, meu desejo...



.:: Links de Poemas e Poesias ::.

Ana €!¡sa Poes¡as
Simplesmente Ana...
Simples Ana
Olhando Estrelas
ð¡n
Juliana Poesias
Blog de Pensamento Liberal
Pensamento Liberal


.:: Links de Músicas ::.

†Annihilator†

"Adoro aquela indecisão
deliciosa
que teu corpo fica...
no vai e vem
vem e vai
vai
vem
ai, fica..."

Ana €!¡sa





.:: Votação ::.

Dê uma nota para meu blog


...meu destino é ser tua
hoje eu sei disso...
descobri
no exato momento
do teu toque...




.:: Indicação ::.

Clique aqui para me indicar










"...ontem à noite
sonhei de corpo inteiro
– acordei com teu cheiro"

Alonso Alvarez

 



...hoje eu só precisava sentir teu hálito na minha nuca
sentir tuas mãos possessivas querendo meu corpo
tua tempestuosidade atingir minhas vontades
sentir tua boca percorrer o caminho que é teu...
pois eu sou feita de partes e cada parte de mim é feita para você...

Þarte ðe M¡m




...Você é um amor para recordar
Para reencontrar...
Em qualquer tempo
Em qualquer lugar...



.:: Meu e-mail ::.


E-mail


Imagens, textos, poemas e poesias são copiados da Net, respeitando-se os autores... Se algum texto ou imagem estiver sem e você souber a autoria, escreva e serão creditados...
Obrigada...
Þarte ðe m¡m








Que importa se a distância estende entre nós léguas e léguas
Que importa se existe entre nós muitas montanhas?
O mesmo céu nos cobre
E a mesma terra Iiga nossos pés.
No céu e na terra é tua carne que palpita
Em tudo eu sinto o teu olhar se desdobrando
Na carícia violenta do teu beijo.
Que importa a distância e que importa a montanha
Se tu és a extensão da carne
Sempre presente?

Drumond




"A mesma chama que o vento apaga
volta a se acender pela carícia do sopro suave
porque não há um orgasmo que
ponha fim ao desejo"

Bachelard




eu quero sentir o gosto dos seus lábios
e guardar o sabor desse sonho
eu quero mergulhar nos seus olhos
e beber cada gota desse olhar
eu quero sentir a sua pele
e tocar na sua alma
eu quero parar de escrever
e viver
...da...




Despe-me
ou deixa que eu me dispa
e depois veste-me
pouco a pouco
de carícias...
...ad...




''Sou mansa...
entretanto minha ânsia de viver é feroz''

Clarice Lispector



Segunda, me inflamo.
Terça, te amo..
Quarta, te vejo..
Quinta, te desejo..
Sexta, te quero..
Sábado, te espero..
Domingo, te sonho..

.......

E quando longe de ti,.
só para ti, componho..

J.G de Araújo Jorge





Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento

Sophia de Mello Breyner Andresen




 



..ahhh, sofreguidão que você me deixa quando me toma nos braços...
enlaça minha pele de uma maneira única...
marca e deixa vestígios imensuráveis...
aperta e prende...
abraça e beija o intimo desejo de nós dois...
e, assim lânguida me disponho em tuas mãos...
presa inconfessável nesse sonho infindo...

Þarte ðe M¡m